Delay

“Ninguém é tão grande que não possa aprender, nem tão pequeno que não possa ensinar.” Esopo

Com uma frase bastante significativa ao contexto da minha vida hoje, retomo momentaneamente a atividade deste depósito.

Percebo hoje que desde o aeroporto, as coisas não são como deveriam ser, ideias e ilusões, abrangem muito mais o campo da memória neste aspecto. Não valer a pena está longe de ser verdade, mas certas verdades são inconvenientes, verdade duras ou mentiras apaziguadoras? Nem um, nem outro. Apenas sinceridade!

Mas sinceridade, se não bem aplicada e revolta em precauções, pode trazer tantos transtornos quanto qualquer outro erro mundano. Nenhuma conversa nunca é ruim, levando-se em conta que de tudo que se ouve e fala, por conseguinte, refletido, analisado, terá algo a ser aprendido. Afinal, perfeição não na Terra, nem ela mesma, já que não é redonda!

Ironicamente, tenho um texto escrito em um aeroporto ano passado, que pelo visto, se compara as predições de alguns livros famosos sobre desastres! Nada época escrevia sobre outro assunto, mas aparentemente, qualquer texto pode ser interpretado de forma livre a nos dar conforto quando precisamos, ou confronto quando menos esperamos!

Da vida levo muita coisa, a maior parte, de aspecto apenas inteligível. Da minha vida material, até hoje não tem nada que possa levar para o túmulo, ou tenha orgulho de realmente ter tido tal posse. Mas da mesma maneira não deixo nada para trás, tudo que tenho que é meu, está em minhas lembranças, são minhas saudades diárias, minhas lembranças da infância, coisas que por nada perderei! A não ser por decorrência de uma amnésia. Em suma, quando morrer, não tenho nada com que me preocupar! Afinal a morte é para todos, com exceção de alguns lugares como a China que mortos pela polícia ou exército, tem que pagar as despesas da morte.

Mas aqui, onde deverei morrer, as despesas existem apenas pelo capricho de guardar as ossadas, seria muito melhor ser queimado numa colina e deixar o vento devolver toda essa matéria ao que importa, o mundo!

Por que me conter a um assunto, né? Então, por hora é isso!

Belle And Sebastian – Get me away from here I’m dying

Oh, that wasn’t what I meant to say at all

From where I’m sitting, rain

Washing against the lonely tenement

Has set my mind to wander

Into the windows of my lovers

They never know unless I write

“This is no declaration, I just thought I’d let you knowgoodbye”

Said the hero in the story

“It is mightier than swords

I could kill you sure

But I could only make you cry with these words”

 

Belle And Sebastian – To be myself completely

Well my heart has fallen down

Thought I’d talked myself around

But to be myself completely I’ve just got to let you down

___

Transfiguração (Tormenta/Revolta)

Frustrações retomam a mente

Esforços parcos, se esvaem

De que adianta a luta,

se o objetivo não se explica.

 

Transfigurar vontades em sonhos,

nada mais fácil quando da

boca pra fora excrementamos

Falso? Não, apenas ilusão!

 

O ímpeto de fazer algo não surge,

nem ao menos encoraja a nada!

Serão mesmo estas minhas vontades?

Ou o devaneio de tantas outras mentes!

Published in: on julho 3, 2012 at 5:39 pm  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

SUPER REALISMO!!!

As vezes, mas só as vezes, temos uma epifania sobre o que somos, sobre nossas ações, sobre nossos desejos. O que tudo isso representa nas novas vidas, como nas dos outros.

Dar atenção a tudo que fazemos parece massante, mas estimula bastante nosso senso de realidade.

Pode-se não viver no seu próprio umbigo, mas é um ótimo ponto de observação. Se fechar nele que te impede de crescer.

Por isso e outras coisas, sempre que penso um pouco mais na coisas que faço e nas coisas que quero, me motiva a escrever. QUALQUER COISA!!! No meio de um relatório, no meio de uma redação exaustiva… sei lá!

É bom saber que não sou tão vazio, me acalma!

___

Toque

Cabeças vagam sobre colos
Caçam suas próprias carícias
Fogem como imãs e seus polos
Se perceber algumas malícias

Alguns com manias repetitivas
Agem sobre todos seus reflexos
Ações doces, porém exaustivas
Aos que percebem, se veem perplexos

Um cafuné, simples mania
Aos maus olhos, intuito lascivo 
Diante de toda essa desarmonia
Passo meus dias incógnito, e vivo
Published in: on julho 23, 2011 at 11:35 pm  Deixe um comentário  

Ao passo da imagem

O misencene de um relacionamento fora de quadro!

Um devaneio acerca de cinema e amor!

___

Ao passo da imagem

De tantas diretrizes,
Mórbido saber,
Logo fui me envolver
com a perspectiva.

Tanta doutrina,
tantos ensinamentos,
e me deparei outra vez
com o fechar de olhos.

Se são suas íris,
ou uma lente qualquer,
estou eu outra vez
longe da realidade de fato.

Não consigo mostrar mais,
com símbolos ou palavras,
o que sinto e o que quero
para mim, ou para você.

Published in: on abril 25, 2010 at 8:15 pm  Comments (1)  

Cada coisa que “escuto”! O.o

“diferente neh, frio, mas diferente”

Agora realmente sei que não lógico e entendivel!

Mas fazer o que, todo dia um novo dia de superação!

Todo dia um novo ponto de virada!

Mas saber qual dele é o que vai nos tirar do primeiro ou segundo ato …

HHHUUUMMM … creio que seja ainda mais complicado!

“If I was a simple man,
Would we still walk hand in hand?”

Ainda estou de mão dadas! Da maneira que sempre tive!

Mas, bom … melhor deixar para lá!

___

Tormenta

Certo de que em outra época todos os homens falavam a mesma língua, ponho-me a imaginar como seria saber realmente o que o outro quer dizer. Machucamos as vezes justamente por isso, fazer o mal uso das palavras alheias.  Um casco é o que temos para nos proteger contra as adversidades, um caso rijo, porém as vezes não o suficiente espesso, faz com que adernemos e espalhemos todos sentimentos, as vezes transfigurados em duras palavras. São os gritos de suplicas dos sentimentos náufragos. A melhor partilha se dá quando entrega-se tudo ao outro, assim não há apatia da outra parte. E no meio da tormenta, melhor se entregar logo e salvar outrem.

Deixo minhas palavras mudas, e entrego de maneira amena o que me deixava pairando, flutuando nesse conforto todo!

XXX


Published in: on abril 14, 2010 at 11:48 pm  Deixe um comentário  

Dois caminhos

A’fundo no fluxo

Como barcos em mar aberto
em um lindo dia de calmaria
quem sabe um dia traria
o azul celeste e marinho
devolta ao nosso caminho
mesmo sem nunca ter desperto

Mesmo nessa paz de dois
perdidos no horizonte
abaixo está a corrente
Que de cá pra lá agita
e de manso intensifica
tudo que ficou pra depois

___

Fácil perceber como tudo é difícil! Poxa, qual seria a graça se tudo pairasse sobre calmas águas, se nossas dificuldades não passassem de meras cordialidades intrapessoais, quiçá, ser conduzido meio a cardumes de pessoas!

Não, nada é fácil! Díficil é precisar o quanto tempo temos para dispor a certas mudanças, e se realmente, de nosso âmago, são nossas peculiares vontades!

Diga-se de passagem! Pensa que está fácil? Levar a vida dessa maneira? Não mesmo! Mas mesmo desistir, não é tão fácil assim!

Então: “Cada um de nos compõe a sua história, cada ser em si / Carrega o dom de ser capaz, e ser feliz,” Almir Sater – Ando Devagar!

Um grande abraço!

Published in: on fevereiro 27, 2010 at 10:16 pm  Deixe um comentário  

Até que um dia …

Stars – My favourite book

I was always late
you never afraid that we could be falling
all our friends would say
that maybe we should wait
but they can’t see what’s coming

and to this day when everything breaks
you are the anchor that holds me

and that is why we’ll always make it
how i know your face
all the ways you move
you come in
i can read you, you’re my favorite book
all the things you say
the way you shift your eyes
i never knew there was someone to make me come alive

when the days are long and the thunder with the storm can always get me crying
well you can make my bed, i’ll fall into it
shattered but not lonely
cause i never knew a home
until i found your hands and when i’m weathered you come to me you’re my best friend

and that is why we’ll always make it
how i know your face
all the ways you move
you come in
i can read you, you’re my favorite book
all the things you say
the way you shift your eyes
i never knew there was someone to make me come alive

and when we’re making love
i’d give everything up for your touch

how i know your face
all the ways you move
you come in
i can read you, you’re my favorite book
all the things you say
the way you shift your eyes
i never knew there was someone to make me come alive
and when you go to work
all the day i wait for you to come home
and we can have time in our little place
our little place

http://www.youtube.com/watch?v=MN1YLkBSp_4

___

Palavras sortidas


Sinto a falta
da conquista!
Nossa sinceridade
vai deixar saudade!

Isso me faz triste
um tanto quanto ausente!
Mas digo que valeu
e sou eu quem mais sofreu!

Mas quero nossa vida!
Sou feliz com a que levamos!
Porem odeio o dia da partida!
Published in: on fevereiro 22, 2010 at 11:20 pm  Deixe um comentário  

Voltando a ativa! O.o

SE ENAMORA

Quando você chega na classe
Nem sabe
Quanta diferença que faz
E às vezes
Faço que não vejo e nem ligo
E finjo, ser distraída demais

Quantas vezes te desenhei
Mas não consigo
Ver o teu sorriso no fim
Te sigo
Caminhando pelo recreio
Quem sabe
Você tropeça em mim

Se enamora
Quem vê você chegar com tantas cores
E vê você passar perto das flores
Parece que elas querem te roubar

Se enamora
Quem vê você chegar com tantos sonhos
E os olhos tão ligados nesses sonhos
Tesouros de um amor que vai chegar

Quando toca o despertador
De manhãzinha
Me levanto e vou me arrumar
E vejo
A felicidade no espelho
Sorrindo
Claro que vou te encontrar

Fico só pensando em você
E juro
Que vou te tirar pra dançar
Um dia
Mas uma canção é tão pouco
Nem cabe
Tudo que eu quero falar

Se enamora
Quem vê você chegar com tantas cores
E vê você passar perto das flores
Parece que elas querem te roubar

Se enamora
Quem vê você chegar com tantos sonhos
E os olhos tão ligados nesses sonhos
Tesouros de um amor que vai chegar

Se enamora
E fica tão difícil
De ir embora
E às vezes escondido
A gente chora
E chora mesmo sem saber porque
Se enamora
A gente de repente
Se enamora
E sente que o amor
Chegou na hora
E agora gosto muito de você

___

Súplicas


Duas vidas por assim dizer, complicadas!
Cada qual, com suas escolhas, opiniões e
observações! Consenso? Contraversos!
Afinal, todo antagonismo presente em
nossas vidas! Versos leves, palavras duras!

Faço meus sorrisos, os sinceros votos
de amor, no desespero e na dor! Busco
felicidade em cada momento único, por
vezes, lembranças! Dor? A da partida,
a separação, a vaga lembrança de como
era minha vida antes de um encontro!

“Mas sempre forte, sempre, sempre
mais quente”! Assim me sinto! Todo o
calor em contato com teu corpo! O
toque de nossas peles, e penso assim,
quem realmente demonstra carinho!
Ignorância de minha mente,
menosprezar tais fatos!

Faço minhas lágrimas promessas! Por
temer quando palavras voam a esmo, e
logram minhas idéias! Sinto assim, a
falta que me faz, o brilho dos teus
olhos, na sutileza do teu olhar
apaixonado!

Cá estou novamente, em linhas
poentes, nem um pouco potentes,
mostra-te o valor do sentimento
cativado por mim! Fortaleço-o com
isso, aquilo que te mostra com toques
e olhares! Por fim, um silencioso,
“Te amo”!
XXX
Published in: on fevereiro 21, 2010 at 2:29 am  Comments (2)  

Mais uma!

Lonas Bicolores – Steroplasticos

De longe eu já vejo os leões
E as bailarinas se enfeitam só pra mim
As luzes se apagam e no fim
Eu imaginava ela a dançar
O afinado maestro conduz
E eu vejo os balões a voar
Me ensina a ser tão forte assim também
E fecha os meus olhos talvez

Você me vê como um bom rapaz
Mas de algodão doce eu não gosto mais
Aqui não tem roda-gigante

Eu sei que você gosta que eu goste
Você gosta que eu saiba que você gosta de mim

E pro gentil palhaço perguntei
Algumas coisas sobre você
E com uma lágrima no olhar
Disse lentamente “ela vai voltar”

Eu mostro os novos truques que aprendi
Que o trapezista me ensinou
Só pra te deix
ar mais feliz
Só pra te deixar mais feliz

Você me vê como um bom rapaz
Mas de maçã do amor eu não gosto mais

Aqui não tem montanha-russa
Eu sei que você gosta que eu goste
Você gosta que eu saiba que você gosta de mim

_______________________________________________

Fico devendo a música on-line! Se virem, ja se acostumaram né? Quem, ninguém deve ver essas coisas mesmo! Ta valendo! Não tem a música acima, mais tem outras bem legais também, enjoy it! http://www.stereoplasticos.com.br/

Mais o fato é que: certas coisas balançam nossas mentes, como se já não basta-se balançarem nossos corpos, nos levando a fazer coisas fora do comum, não absurdas, as vezes so a mudança de um caminho! E isso, não que seja ruim, muda um pouco nossa visão, nossos hábitos, nossas vontades! Tanta coisa! Eu me divirto com isso, como se não bastasse tudo que eu já penso, e me disponho a pensar, ainda consigo encontrar coisas por ai que adicionam, sempre em tom de brincadeira, sementes de uma leve discórdia, e essa também não vai detonar com nada, só que vão deixar indivíduos conflitantes, por partilharem de um desejo similar, não iguais, por conta da intensidade desse desejo!

Ai agora, quem vai saber o que é certo, o que é errado. Se vale ou não. A pena? Não, fazer isso com pensamentos! Já que esses não temos controle. Apenas fingimos! UIAHUAUHAUI Sempre divertido pensar sobre isso!

Doloroso é pensar sozinho! Doloroso? Hum, é, as vezes incomoda a ponto de duer um pouco! Sabe aquela dorzinha latente. pulsante até um pouco vermelha? Que que tem? Sisnestesia é legal! Algumas cores nos lembram cheiros, alguns cheiros nos lembra lugares, alguns lugares nos lembra um linda melodia (como o mar), e essa melodia … vai te detonar… pq vc so vai pensar em uma única pessoa!

Tem como piorar? Sempre tem, por que sempre perdemos algumas outras boas chances! E é ai que nos pomos a pensar outra vez… o quão obsoletos somos, ainda mais nessa crise toda, quem vai querer alguém assim?

Sim, falei de uma pessoa o tempo inteiro! Não é culpa minha se você não percebeu!

Obrigado pela atenção dispensada!

=D

Published in: on setembro 21, 2008 at 6:06 pm  Comments (2)  

O moedor de sentidos (REMAKE)

 

E vemos mais uma vez todo esse passado, pesado de tanta lamúria, toda ela causada por tão pouco desentendimento! Nem temos a verdade que buscar, se tanto na verdade nem dúvidas temos! Tão certos de si, estamos cada um percorrendo caminhos que, ou não, tendem ao fim, quem sabe bem mais comum do que estamos pensando! Se por brincadeira, atos lúdicos, palavras sem sentido, ou sentidos(!), sempre acaba num ‘até mais’, expressão forte, tanto que nunca queremos um até menos! Seria egoísmos de nossas bocas? Ou nem a isso se prestam mais? Pobre delas, segurar tantos momentos que nem aos olhos, que deveriam suportar até mesmo os cheiros mais ácidos. Por sorte, temos o tato suficiente para poupar algum outro sentido! Tão cautelosas, buscando muito mais do que um toque, mais um sentimento por vezes confuso! Ah, quantos erros! Por sorte, o passado é a chave do presente, nunca existimos sem nossas experiências passadas! E neste empirismo podemos de uma vez por toda regar nosso olfato com tanto afeto! Se nem de olhos calados, evito dizer, nem que seja manifestado com todo meu corpo um desejo, que de tão profundo, se mostra! E ai dizem: “que confusotraditório!”. Se para resolver de vez essa situação um só código fosse necessário, sentiria tanta vontade, que de palavras não construiria uma frase, e nem de gestos esboçaria tal reação! Entenderia o simples balançar de uma pena, que presa se solta e voa! E essa pena sem dó, não abriria apenas sua imaginação, assim como tua boca ao dizer: “onomatopéia de um coração pulsante de incoerências”!

________________________________________________

 

Em nome daquelas passagens da vida que sempre somos apanhados de surpresa. Conseguimos um pouco nos magoar, magoar ao próximo, e no final, só nos resta algumas dúvidas, que mesmo entalhadas pelo tempo, parecem querer não sair. Ainda que tua vontade seja esta!

O pior, é que tem quem pense que a como ‘re-entalhar’, e tenta com as próprias mãos, usando ainda ferramentes escuzas! Claro, não terá bons resultados! Agora resta perguntas, tristezas, rodopios e prováveis tonturas!

E sobre o que estavamos falando?

Eu não tenho esta resposta!


Obrigado e volte sempre!

 

Expectations!

Published in: on setembro 19, 2008 at 12:22 pm  Comments (1)  

A Seca

Somos vazios, cada um, um rio seco

Que espera a chuva do conhecimento

Faz-nos transbordar

Deixa-nos a matutar

 

No desemboque da vida

Espraiamos um tempo de partida

Nos cai a dor

Os prantos do levar

 

É a vida que se acaba

É o fim da caminhada

É a morte a nos secar

É não ter onde nadar

_______________________________

Apropriado não?

UAIHUIHAUAIHUA

Nesse calor… essa seca braba…

Por sorte molhamos a guela! Uma gelada…

Essa ai nos quebra viu… pqp!

UIAHAUHUIAHUIA

E a grana vai-se indo!

A vontade de beber se acomchegando!

Eh uma coisa loka!

IUAHUAIHUIAUHIAUHIUIAUIAUIA

O bão memo é topar com os camaradas e matar essa seca na boa!

So na maciota!!!

AUIHAUIHUAIHUAIHUIA

\,,/.

É isso… chega!

Published in: on setembro 10, 2008 at 2:41 pm  Comments (3)